Cursos online & Plataforma EAD - Ensino a distância com tecnologia http://www.GlobalEAD.com.br! Leia http://www.BlogEAD.com.br e JesusCristo2.com.br


Acesso do Aluno

Depoimentos

Entrevista com Lívia Toschi - Aprovada em 1° lugar no concurso para a Prefeitura de São João Nepomuceno.

1. Faça uma breve apresentação da sua jornada como concurseira.

           A minha jornada de concurseira só começou de verdade quando eu me dediquei de verdade, parece redundante, mas, na verdade, foi isso mesmo que aconteceu, pois antes eu fazia os concursos indo com uma bagagem muito rasa, na época não havia a facilidade que hoje tem de ter cursos online, materiais em pdf, internet com mais qualidade, enfim, fazia mais com a intenção de passar usando apenas como álibi, a sorte! Rsrs… isso foi quando eu saí do 3° ano do ensino médio, em 2002.

            Eu já sabia que queria a estabilidade financeira, mas não tinha a noção de onde começar, por isso eu contava mais com a sorte do que o próprio estudo em si. O tempo foi passando e aos poucos o estudo foi sendo acumulado com os recursos que tinha na época, cursinho presencial, que muito pouco me ajudou em relação a concurso, porém veio a aprovação na faculdade Federal de Juiz de Fora, onde cursei a Faculdade de Serviço Social e não fiz mais concursos, logo após a formação, em 2013, preparei-me para um concurso de três Rios, na minha área, estudei por uma apostila de banca de jornal, fui aprovada, mas não tão bem classificada, então concorri a uma vaga para uma especialização que possuía uma bolsa no Hospital Universitário da UFJF, consegui, e após alguns meses do início da especialização a Prefeitura de Três Rios me chamou, e tive que escolher, optei pela especialização que tinha uma bolsa, mas era somente 2 anos sendo de 2014 a 2016, mas preferi incrementar o meu currículo.

            Simultaneamente, no início da especialização, saiu o edital para investigador da Polícia Civil, fiz curso presencial, foi muito bom, mas eu não tinha muito tempo, pois a especialização são 60 horas semanais, o cursinho presencial era durante a semana à noite e nos finais de semana não conseguia me dedicar, pois às vezes tinha plantão e quando não tinha eu tentava ver algo, mas não com muita seriedade. Fiz a prova em Belo Horizonte e apenas fui aprovada, mas com uma classificação muito inferior, e olha que foram chamados 3 mil candidatos, um deles era o meu esposo que conseguiu estudar bastante, ele comprou toda a bibliografia, assistia as aulas presenciais, e em casa estudava por fora, seguindo a bibliografia dada no edital e fazendo bastante exercícios da banca.

           Depois que acabou a especialização, em 2016, houve um certo arrependimento de não ter assumido em Três Rios, já que o concurso era a estabilidade que eu tanto queria, mas tinha acabado de sair o concurso para Assistente Social do Inss comprei um curso online fiquei por conta dos estudos, mas não tinha um planejamento de separar as matérias por dias da semana, ia estudando o que me dava vontade, não me dediquei o suficiente para as específicas da área, hoje compreendo que todas as disciplinas são importantes, mesmo aquelas que já possuo afinidade, este é o diferencial, tratar todas as matérias como importante, fiz a prova tanto para a minha área que foi no turno da manhã como para técnico, ensino médio, que foi no turno da tarde, ambos eu ainda levava a sorte como álibi, mas não foi o suficiente, em ambos eu não consegui nem a classificação, fiquei muita revoltada e achei que concurso não era para mim (grande tolice), fui trabalhar na área, porém não como sempre sonhei. Foram de 2017 até 31 de Março de 2019, foram dois empregos neste tempo, o primeiro fiquei 1 ano e 9 meses, amava o trabalho, mas o meu sonho ainda estava ali adormecido e doía lembrar que não tinha conseguido. Paralelo fiz alguns concursos, sendo para a Prefeitura de Juiz de fora e Prefeitura de Leopoldina, até consegui ser aprovada no primeiro, mas não era uma classificação plausível para uma convocação e a tão sonhada nomeação, mas eu não estudava e ainda usava apenas o álibi da sorte, que não era o suficiente; pedi demissão, e tentando achar em algum lugar o que eu inconscientemente já sabia que não acharia no setor privado, iniciei no meu segundo trabalho, não como Assistente Social, pois neste meio tempo, de não conseguir uma boa classificação e não ser chamada e ainda com aquele peso de ter optado pela especialização e não pelo concurso de Três Rios, cancelei o meu registro na categoria e tinha desistido de concursos e principalmente da profissão que me levou 4 anos de graduação e mais 2 anos de especialização. No segundo trabalho fiquei de novembro de 2018 a 31 de março de 2019, 4 meses e 4 dias. Digo que foi extremamente importante, pois me deparei com o que eu de verdade não queria para a minha vida.

            Este foi o estopim para a minha mudança de pensamento, postura e respeito comigo mesmo. Pois relembrei-me do que eu verdadeiramente queria para mim, do sonho adormecido que não tinha ido embora, do que de fato eu precisava fazer e o quanto eu estava disposta para concretizá-lo. Isso tudo quando me deparei com as notícias sobre o concurso do TJMG.

            Diante do reconhecimento do que eu realmente queria, iniciei em abril deste ano de 2019 um estudo sistemático da minha área de serviço social, iniciei com a matéria que eu achava que dominava, mas que na verdade não dominava tanto assim, pois reconheci que era preciso pegar firme e ter domínio da matéria, e desde então começaram a surgir concursos de municípios ao redor de Juiz de fora. O conhecimento adquirido deixou de ser raso, como antigamente, me vi capaz ao ler os conteúdos que seriam cobrados.

            No dia 15 de setembro, fui fazer o concurso da Prefeitura de Rio Novo, havia tanta esperança e cobrança de mim mesmo, pois agora eu já me sentia capaz, o meu pensamento já era outro, a dedicação já era maior, e havia muitas oportunidades ainda, pois muitos outros concursos estavam para abrir, dessa vez o álibi da sorte somou aos estudos adqueridos e não foi sozinho, pois não ia fazer mal somar com o que consegui adquirir neste meio tempo de estudo. Fui aprovada, porém não classificada, eram 2 vagas e eu fiquei em 6° lugar. Esta classificação não foi o suficiente para ser nomeada, mas o suficiente para ver que eu era capaz, e precisava insistir mais um pouco, olhar o que foi que errei e onde precisava melhorar. Então, após este minucioso olhar de onde era os meus erros - não para me achar incapaz, ou que errei de bobeira, ou qualquer desculpa que eu possa dar, mas para ver o que precisava de fato apreender e dominar para não mais errar - E aí o que era? O PORTUGUÊS!

            No dia 20 de Outubro eu teria o Concurso da Prefeitura de São João Nepomuceno e eu precisava melhorar, entender, apreender o Português. Iniciei uma busca e achei a Professora Zezé Barino, no revisão concursos, que é online, eu poderia estudar em casa e me ajudaria. E foi o que fiz, estudei a especifica por conta e de acordo com o edital e o português no curso revisão concursos. No dia da prova eu fiz todas as questões muito consciente, sabia onde que estava errado e o que estava realmente certo, pois compreendia a matéria. E eu ainda tinha o meu álibi, mas desta vez compreendi que quanto mais eu estudo, mais sorte eu tenho. E foi assim que consegui passar dentro das vagas, eram 2 vagas no edital, e para a minha surpresa, felicidade e realização passei em 1° lugar, da minha área, Serviço Social, sendo a segunda maior nota geral do concurso.

           

2. O que te levou a escolher a carreira pública?

            Primeiramente a estabilidade. E depois somando a este vem a autonomia, os descansos nos finais de semana, coisa que não consegui nos dois empregos privados, a remuneração e carga horaria de trabalho.

 

3. Quais os concursos do seu interesse e em média quantas horas por semana você dedica a preparação?

            O concurso que mais me motivou a estudar foi o Tribunal de Justiça. Como o mesmo ainda não tinha saído o edital, prestei concursos para Municípios, visando treinar e até mesmo tomar posse por conta da carga horária que irá me possibilitar a continuar com os estudos. Sem trabalhar eu consegui estudar 6 horas por dia (9:00 horas às 11:00 horas e de 14:00 horas às 18: 00 horas, no inicio da manhã acordava cedo para fazer atividades físicas e depois iniciava os estudos. No período da tarde eu almoçava e cochilava após o almoço, porém com o despertador para iniciar os estudos da tarde. E a noite fazia algo para relaxar) e descansava nos finais de semana, pois iniciei os estudos muito antes do edital, e se fosse com uma carga maior, provavelmente cansaria e até mesmo desmotivaria. Quando estava faltando 3 semanas para a prova eu fazia questões no horário e dia da semana que seria a prova, por exemplo, 14 horas às 17 horas no domingo ou 8 horas às 11 horas no domingo, isso eu fazia para treinar o psicológico, pois treinava como se estivesse lá no dia da prova, e me ajudou, pois já ia no ritmo do treino no dia da prova.

            Após a prova de São João Nepomuceno, optei por descansar, pois estava direto desde abril. Mas retornarei semana que vem, com o mesmo horário objetivando o concurso para Assistente Social do TJMG. Caso me convoquem em Dezembro eu terei que rever a distribuição das horas do dia para estudar e me planejar, pois vou continuar estudando para o TJMG.

 

4. Em sua opinião quais são os fatores que podem comprometer a preparação de um candidato?

            A procrastinação é a pior delas, pois temos que pegar e fazer, se deixar passar vamos nos anulando e criando desculpas. Considero também a preguiça e aquele sono que vem na hora errada, por isso é importante ter uma boa noite de sono. Quando der sono, levante molha o rosto e faça alguns polichinelos que acorda rapidinho, mas caso seja realmente sono mesmo, aí durma uns 30min., para ver se quando voltar consegue focar melhor, mas isso não deve ser um hábito, tem que ter disciplina e comprometimento com o seu futuro.

            Outra coisa é a rotina, tem que criar uma rotina, todo tempo tem que ser planejado, escrito em um papel, com cronograma diário, para que na hora que sentar para estudar não ficar perdido e se perguntando, o que vai estudar?

            Primeira coisa, antes de estudar é fazer um cronograma minucioso do que vai ser estudado naquela semana ou até mesmo naquele mês descrito por dia e quanto tempo tem para isso, saber dividir o tempo para cada disciplina, tempo para fazer muitos exercícios e revisões.

 

5. Qual a contribuição do Revisão Concursos nesta caminhada rumo a aprovação?

            O revisão concursos foi o que me permitiu alcançar a aprovação e excelente classificação, isso sem sombra de dúvidas, pois ninguém faz e consegue sozinho, não cheguei no primeiro lugar sozinha, muitas pessoas me ajudaram e o curso revisão concurso foi essencial, fazendo com que eu conseguisse entender o português e fazendo a diferença na minha aprovação.

 

 

 

 

Entrevista com Emília Ludmila - Aprovada em 2° lugar no concurso para a Prefeitura de Viçosa.

1. Faça uma breve apresentação da sua jornada como concurseira.

Comecei a estudar mesmo esse ano em Março.

 

2. O que te levou a escolher a carreira pública?

Trabalhei muito tempo no particular e me desgastei. Muitos familiares são concursados e vi a diferença na qualidade de vida, estabilidade e segurança.

 

3. Quais os concursos do seu interesse e em média quantas horas por semana você dedica a preparação?

Os concursos do meu interesse são da Saúde Pública da minha àrea de Educação Física. Academia da Saúde e Nasf. Estudei Março, Abril, Maio e Junho de manhã e a tarde porque não estava trabalhando, em média acho que 6 horas por dia. Em Julho arrumei um emprego e agora estudo só a tarde.

 

4. Em sua opinião quais são os fatores que podem comprometer a preparação de um candidato?

O que pode comprometer é a falta de um bom curso preparatório. Pois nos cursinhos os professores sabem exatamente o que irá cair.

 

5. Qual a contribuição do Revisão Concursos nesta caminhada rumo a aprovação?

Total contribuição. Comecei sem saber nada de informática. Na matemática revisei matérias esquecidas. O português sempre fui melhor. Me ajudou também o curso porque me dava disciplina. Assistia as vídeos aulas anotando no caderno. Fez total diferença. O que os professores falaram realmente caiu.

 

Meu nome é Valdir Morais Cardoso Junior, sou Técnico Agrícola e Engenheiro Agrônomo. Assim que formei no ensino médio, comecei a preparação para ser aprovado em um concurso público, tendo como referência minha mãe que é professora concursada. Os últimos dez anos foram de muitas reprovações como, por exemplo, o MAPA, a EMATER PR, o  ADAGRO, entre outros.

Minha preparação estava errada, pois achava que, pelo fato de estar em uma Universidade Federal, tinha toda base necessária para uma aprovação, mas eu estava errado.

Então, conheci o Revisão Concursos através de uma aula demonstrativa na internet e me identifiquei com o método utilizado pelos professores e ,então, fui verificar mais sobre o curso e percebi que as indicações eram muito boas.

Com as orientações de professores como Júnia Andrade (Português), Elionôra Azevedo (Raciocínio Lógico) e Paulo França (Informática) percebi que minha preparação, até o momento, estava errada e precisava mudar literalmente o foco.

Português, Informática e Raciocínio Lógico, com os professores do Revisão, foram fatores determinantes na minha aprovação, pois chegava em casa à noite, após o trabalho, e estudava assistindo as aulas de 19:00h às 23h:30min e aos finais de revisava todo conteúdo, assim meu desempenho foi muito superior ao dos outros candidatos nessas três disciplinas.

Para finalizar, gostaria de agradecer a equipe do Revisão e citar um comentário do professor Paulo França durante as aulas: “ o sacrifício é momentâneo, mas o cargo é permanente”. Creio que esse seja realmente o caminho.

 

Glória Deus pela minha aprovação!



Entre em Contato

Pagamento

Formas de Pagamento

Site Seguro

Site Seguro
;